Assim se escrevia, em caracteres gregos, (a lingua do Novo Testamento), o nome da igreja de Jesus, no tempo dos apóstolos: Ekklesia Iesous Cristos (Assembléia de Jesus Cristo).

"Antes crescei na graça e no
conhecimento de nosso Senhor
e Salvador Jesus Cristo"
(II Pedro 3:18)
 
 
 
   

Quem somos e no que cremos
                                                                   Otto Amaral (*)         


    
    Nós, que fazemos este site, assim como os membros da Fundação para Restauração do Novo Testamento (New Testament Restoration Foundation, NTRF, com sede na Geórgia, EUA), com quem mantemos uma frutífera comunhão, somos partes de um crescente corpo de servos do Senhor que percebeu a importância de seguir os padrões da igreja do Novo Testamento. Temos em nossos corações a crença de que a Bíblia é nossa autoridade final, não apenas em matéria de fé, mas também em matéria de práticas. Nós vemos importância e influência teológicas nas distintas tradições da igreja apostólica.
O uso da expressão “restauração” não reflete a crença, de nossa parte, de que a igreja verdadeira tenha, de qualquer modo, deixado de existir depois do tempo dos apóstolos. Deus tem guiado e preservado Seus eleitos através dos anos. Nós nos sentimos profundamente devedores àqueles que nos precederam e de boa vontade permaneceram fiéis. A idéia de “restauração” nasceu do nosso desejo de ver as práticas do Novo Testamento (ortopraxis) restauradas na igreja de hoje, assim como a teologia do Novo Testamento (ortodoxia) foi restaurada durante a Reforma.

    Nós buscamos ajudar aos outros a recuperar a intimidade, a simplicidade, a responsabilidade e o dinamismo da igreja do primeiro século. Nossa meta é oferecer gratuitamente ou a preço de custo, recursos e treinamento sobre como a igreja primitiva se reunia coletivamente, em comunidade. Embora não visemos qualquer tipo de remuneração ou lucro, agradecemos a generosidade dos que se mostrarem inclinados a ajudar no atendimento às nossas despesas. Isso, sem nenhuma pressão ou idéia de cobrança.

    Todos nós acreditamos nas Doutrinas da Graça contida na Teologia do Novo Testamento (New Covenant Theology) e concordamos com a Declaração de Chicago quanto à Inerrância da Bíblia. Os pontos essenciais da fé que praticamos são idênticos àqueles encontrados nas declarações de fé de qualquer instituição evangélica bem fundamentada. Nossa principal declaração de fé é a Primeira Confissão Batista de Londres, de 1644 (First London Baptist Confession of 1644), disponível na NTRF, provisoriamente apenas em inglês.
Veja, a seguir, algumas das práticas apostólicas que gostaríamos de ver restauradas:

Igrejas que se reúnem em residências, ao invés de em edifícios especialmente projetados:

  • Esta é a forma de se reunir da igreja do Novo Testamento. Deus escolheu as “coisas fracas” como meio de atingir Seus propósitos (I Coríntios 1:27-29) e não equipara tamanho a competência.
  • A igreja deve ser operada como uma família, não como uma empresa.
  • As instruções deixadas pelos apóstolos sobre como deveriam ser as igrejas, foram dadas tendo em mente igrejas domiciliares. Essa a razão pela qual as instruções funcionam bem em igrejas domiciliares e não tão bem em grandes igrejas.
  • Reuniões domiciliares fomentam comunidade, intimidade e responsabilidade entre os membros do corpo de Cristo, a igreja.
  • Sem demasiadas despesas (como as de construção e equipamento de um edifício), as finanças são dirigidas para as pessoas necessitadas e para o custeio de missionários.
  • A igreja e a unidade familiar devem ser integradas, não segregadas.

Reuniões de igrejas que sejam informais e interativas:

  • Todos os irmãos devem participar do culto, para edificação do corpo como uma só peça (I Coríntios 14). Participação aberta deve ser a regra, não a exceção.
  • A única declaração peremptória sobre o culto das igrejas do primeiro século é encontrada em I Coríntios 14. Ela determina que “todos” (14:26) têm algo com que contribuir e o resultado é a edificação do corpo. Sermões de 45 minutos feitos por um só homem enquanto os outros permanecem em silencio eram inexistentes nos cultos das igrejas do Novo Testamento.
  • O objetivo das reuniões no Novo Testamento é a mútua edificação e não louvor de produção espetacular (embora o louvor seja um meio através do qual a igreja pode ser edificada).

A Ceia do Senhor celebrada semanalmente, como uma completa refeição de comunhão, com o uso de um só pão e um só copo:

  • A ceia do Senhor foi o motivo principal para as reuniões da igreja no Novo Testamento (Atos 20:7, I Coríntios 11:18-20, 11:33).
  • A Ceia do Senhor consistia numa refeição completa, não num pedaço de biscoito salgado e um copinho de suco de uva (I Coríntios 11:21, Atos 2:46 e Judas 12).
  • Durante a refeição deve haver um pedaço de pão e um único copo (I Coríntios 10:16-17). Essa particularidade, Paulo nos instrui, gera unidade no corpo.
  • A atmosfera da Ceia do Senhor é alegria, contentamento (Atos 2:46) e não reflexão solene, pois o foco do acontecimento é a prazerosa antevisão da volta do Jesus e não a indignidade dos participantes.

Direção da Igreja por Consenso do Corpo

  • A direção da igreja deve ser feita por consenso de todos os membros. Isso não é o mesmo que o domínio da maioria, mas o domínio da integralidade!
  • As igrejas devem ser orientadas pelos anciãos ao invés de governadas pelos anciãos.
  • A autoridade deve estar com a integralidade dos membros da igreja e não com seus anciãos.
  • Os títulos “anciãos”, “bispos” e “pastores” são usados no Novo Testamento indiferentemente e se referem ao mesmo tipo de pessoa. Anciãos (ou pastores) da igreja devem ser seus caseiros (ou serviçais). Idealmente, devem ser treinados por outros líderes da própria igreja e não por professores de seminário (II Timóteo 2:2).
  • Anciãos (ou pastores) da igreja precisam apresentar primeiramente qualificações morais e não títulos acadêmicos (I Timóteo 3, Tito 1).
  • Anciãos (ou pastores) da igreja devem prioritariamente proteger o rebanho e não apresentarem sermões de 45 minutos. Sua função é de apoio de retaguarda.

                                                                                                                 (06/07)

(*) Otto Amaral – Otto Amaral, residindo presentemente em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba, no Paraná, tem dedicado os anos mais recentes ao estudo e à divulgação dos assuntos relacionados às igrejas domiciliares, em especial os relativos à restauração das práticas neo-testamentárias na igreja. Otto residiu nos Estados Unidos, onde estudou no Jubilee Fellowship Training Center,de Pensacola, Flórida e é ordenado pelo The Light Christian Ministry, de Marion, Iowa e pelo Universal Ministries, de Milford, Illinois. Otto é o organizador e o responsável por este site. Comunique-se com ele através da opção CONTATO, na página inicial.

 

 

 
 
          QUEM SOMOS E NO QUE CREMOS

      
                                                      ARTIGOS
      
                                                            LINKS
      
                                                  NOTÍCIAS
      
                                                     CONTATO

    

 
     
 


      Atualização de 15 de setembro -
    LEIA O NOVO ARTIGO:

   - QUEM MATOU JESUS?

    Interessante estudo sobre as pessoas e
     as entidades que, no plano terreal, foram
     instrumentos na concretização do drama
     do Calvário.
     Análise bíblica e jurídica do processo for-
     jado contra Jesus para levá-lo à morte.
     E se Ele voltasse hoje, nas mesmas con-
     dições, como seria?
     Quem quereria matá-lo de novo?

     ____________________________

     É LIVRE A REPRODUÇÃO DE MATERIAL      DESTE SITE
     Solicitamos, porém, que sejam      mencionados seu endereço eletrônico, o      título e o autor da matéria.